Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Histórico

1ª Brigada de Cavalaria Mecanizada
“Brigada José Luiz Menna Barreto”

Resumo Histórico da Grande Unidade

      A gênese da Brigada José Luiz Menna Barreto remonta ao ano de 1921, quando o Ministro da Guerra, por meio do Decreto nº 15.235, de 31 de dezembro de 1921, organiza o Exército ativo em tempo de paz e cria três Divisões de Cavalaria. Em seu anexo, a 1ª Divisão de Cavalaria, teria sua sede em Santiago-RS, e seria formada pela 1ª Brigada de Cavalaria com sede em Santiago-RS e pela 2ª Brigada de Cavalaria com sede em Santo Ângelo-RS, porém pela Portaria de 21 de fevereiro de 1922, foi organizada apenas a 1ª Brigada de Cavalaria, cuja sede era em São Borja-RS, subordinada diretamente ao comando da 3ª Região Militar.

       Em 7 de setembro de 1926, por ordem do comando da 3ª Região Militar, ocorreu a instalação da 1ª Divisão de Cavalaria em Santiago-RS, no pavilhão de Comando do 1º Regimento de Cavalaria Independente - 1º RCI (atual aquartelamento do 9º Batalhão Logístico - 9º B Log), pelo Coronel Péricles de Albuquerque, então comandante da 1ª Brigada de Cavalaria (São Borja-RS). A Divisão estava assim constituída: 1ª Bda Cav (São Borja-RS): 1º RCI (Santiago-RS), 2º RCI (São Borja-RS), 1º GA Cav (Itaqui-RS); 2ª Bda Cav (Santo Ângelo-RS): 3º RCI (São Luiz Gonzaga-RS), 4º RCI (Santo Ângelo-RS), 4º GA Cav (Santo Ângelo-RS); Tropas auxiliares: 7º Corpo Auxiliar da Brigada Militar (São Borja-RS), 28º Corpo Auxiliar da Brigada Militar (São Luiz Gonzaga-RS) e 1º Batalhão da Brigada Militar do Estado (Santo Ângelo-RS).

       Pelo Aviso Ministerial nº 881, de 12 de novembro de 1930, foram suprimidos provisoriamente os comandos das Divisões de Cavalaria, subordinando suas OM diretamente à 3ª Região Militar. No ano seguinte, pelo Aviso Ministerial nº 397, de 17 de dezembro de 1931, ocorre nova reorganização, ficando a 1ª DC subordinada à 2ª DC (Alegrete-RS) e, em 12 de abril de 1932, por ordem do Comandante da 3ª RM, o Coronel José Gay, reorganiza a 1ª Divisão de Cavalaria, em São Borja-RS, rumando para Santiago em 21 de abril, instalando-se definitivamente na Guarnição de Santiago-RS.

      A Portaria Ministerial nº 023, de 10 de julho de 1973, do Ministro de Estado do Exército, publicado no BRE nº 07, de 31 Jul 73, transformou a 1ª Divisão de Cavalaria em 1ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, passando a funcionar com a nova denominação em 1º de janeiro de 1974.

      A sua denominação histórica – "Brigada José Luiz Menna Barreto" – é uma justa homenagem ao Marechal-de-Campo José Luiz Menna Barreto que, durante o Império, participou das lutas pela manutenção da Unidade Nacional, das Questões do Uruguai (1851/1852) e da Guerra da Tríplice Aliança (1864/1870), ocasião em que comandou a 2ª Divisão de Exército, combatendo no cerco a Uruguaiana, Tuiuti, Itororó, Avaí, Lomas Valentinas, na campanha das Cordilheiras e na Batalha de Campo Grande, onde substituiu, à altura, o General Osorio no Comando do 1º Corpo de Exército.

     Atualmente, a Brigada é comandada pelo General de Brigada Marcelo Rocha Lima e está organizada com o Comando, Esquadrão de Comando da 1ª Bda C Mec, 1º Pelotão de Polícia do Exército Mecanizado, 11ª Companhia de Comunicações Mecanizada, 9º Batalhão Logístico e 19º Grupo de Artilharia de Campanha, todos localizados em Santiago-RS; o 1º Regimento de Cavalaria Mecanizado, em Itaqui-RS; o 2º Regimento de Cavalaria Mecanizado e a 1ª Companhia de Engenharia de Combate Mecanizada, em São Borja-RS; o 4º Regimento de Cavalaria Blindado, em São Luiz Gonzaga-RS; e o 19º Regimento de Cavalaria Mecanizado, em Santa Rosa-RS. Totalizando um efetivo de aproximadamente 4 mil militares e meios blindados, o que lhe confere grande potência de fogo, ação de choque e proteção blindada.

      A sua missão é planejar, coordenar, controlar, supervisionar e executar ações, no campo da segurança nacional e dentro de sua área de responsabilidade, voltadas para o atendimento das necessidades dos Comandos do Exército, Militar do Sul e da 3ª Divisão de Exército, do Estado e da Sociedade, ficando, ainda, em condições de atuar em Operações de Garantia da Lei e da Ordem e colaborar com o desenvolvimento nacional.
      Nos últimos anos, a Brigada participou ativamente de ações complementares, como a Operação Boiadeiro I e II, apoiando o Governo Federal no controle da febre aftosa e, mais recentemente, das Operações Fronteira Sul I/II e Operação Ágata XI, atuando no combate e repressão aos delitos transfronteiriços. No ano de 2011, a 1ª Bda C Mec participou do exercício de defesa externa denominado Operação São Simão. Nos anos de 2012, 2014, 2016 e 2019, participou da Operação GUARANI, exercício combinado com a participação da Brigada de Monte XII, do Exército Argentino. Em 2014, a Brigada enviou tropas para participar da Operação São Francisco, no Complexo da Maré - Rio de Janeiro. Nos anos de 2007, 2010 e 2014 a Brigada enviou um efetivo de 307 militares para compor a Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti (MINUSTAH).
      Para bem cumprir sua missão, a “Brigada José Luiz Menna Barreto” busca manter-se integrada com as estruturas dos poderes Municipal e Estadual, na sua área de responsabilidade e demais instituições públicas e privadas.
      A Transformação do Exército encontra a “Brigada José Luiz Menna Barreto” em um momento particularmente favorável. Além de ser uma tropa com vocação natural para as Operações no Amplo Espectro, seus níveis de adestramento e disponibilidade a colocam em destaque no âmbito da Força e no próprio cenário nacional.

      Ela estará pronta para atuar na vanguarda dessa transformação da Força Terrestre. Seja atuando em Operações Defensivas, Ofensivas, de Pacificação ou de Apoio a Órgãos Governamentais, as tropas desta Grande Unidade Operativa do Exército Brasileiro estarão disponíveis para cumprir quaisquer missões que venham a receber - como sempre fizeram ao longo da história.

registrado em:
Fim do conteúdo da página